Tem interesse em aprender mais sobre produçao musical?

Aprenda técnicas AVANÇADAS de produção musical com AULAS PARTICULARES onde desenvolvemos a partir do estilo de som que você deseja produzir, MELHORE seu workflow, finalizando suas tracks mais rapidamente e com mais QUALIDADE.

Entenda os principais tipos de REVERB e dê mais mais PROFUNDIDADE a sua MIX

October 25, 2017

 

REVERB, vem de uma versão menor de reverberação, e é um dos mais antigos efeitos, e trata-se de recriar um ambiente natural como salas e espaços diversos. Adicionar uma sensação de espaço para os sons tem sido uma prática muito utilizada quando se faz a mixagem de uma track, e até mesmo no sound design de sons geralmente ambientes como atmos e pads.

 

Antes de comecar a falar sobre os plugins, vamos entender um pouco mais sobre o reverb em um exemplo prático:
Imagine que você está em um amplo vale rodeado de colinas, então você grita "eco" com toda sua força. Uma fração de segundo depois, você ouve isso repetido de volta para você. Isso foi fruto de um fenômeno natural,  pois uma fonte sonora sempre vem acompanhada de reflexões, diretas e indiretas, do ambiente onde ela está. O som sai dela e bate em todos os objetos como o das colinas neste exemplo, mas também poderia ser em paredes,  móveis e até mesmo pessoas.

 

Assim, alguém cantando no chuveiro tem sua voz multiplicada pelos azulejos do banheiro. E, ampliando o espaço, como em uma garagem de shopping, por exemplo, se alguém grita do outro lado, somos incapazes de apontar com precisão onde está o perdido sem vê-lo, por causa das inúmeras reflexões nas paredes lisas e nos carros.

 

 Exemplo de reverberação em uma sala, veja que a voz da pessoa da esquerda sai e reflete varias vezes até chegar ao ouvinte da direita.

 

Na hora de trabalhar a mixagem de sua track, o uso do reverb é algo muito importante para dar a impressão dos elementos sendo tocada em um ambiente, dando mais naturalidade e profundidade a sua mix. Além dessa sensação de espaço ele também da a característica de sua track (pois simula o ambiente que ela está sendo tocada). Por isso é muito importante entender a característica de cada reverb.

 

Existem muitos tipos de reverb, até mesmo para este post eu decidi trazer alguns apenas para não ficar muito extenso, o conhecimento de cada um vai lhe ajudar a entender melhor em qual momento voce usar cada um deles apropriadamente. 

 

Entre os mais conhecidos estão:

 

ROOM

HALL

PLATE

SPRING

 

Vamos a explicação de cada um:

 

ROOM

 

Caracterizado por um tempo em média de 0.2 até 1 segundo.

 

Este como a tradução do próprio nome ja diz significa: sala, um ambiente cercado por paredes, podem ser de diferentes tipos de material, cada sala vai ter sua característica e com isso sua sonoridade, porém elas sempre tem algo em comum, os quartos são projetados para abrigar pessoas, mas não especificamente para ter um som excelente, tendem a ter formas simples, como superfícies planas e paredes paralelas. Esses limites planos, paralelos e reflexivos causam certas anomalias sônicas, como ondas estacionárias, eco de vibração, e ressonâncias. Resumindo elas tendem a ter uma coloração específica. Há muita imperfeição sonora nessas salas, mas é exatamente essas imperfeições que causam esse caráter especial, por exemplo, existem muitos artistas que gostam de gravar violões em banheiros, ou garagens entre outros ambientes fora de um estúdio por causa justamente da acústica.

 

Por isso se você quer dar um tom mais acústico para um certo elemento o ROOM reverb é total recomendado.

 

Costuma-se usar em hats, leads, ou sons que tendem a ficar mais em frente na mix.

 

 

 Plugin Valhallaroom

 

 

HALL

 

Caracterizado por um tempo em média de 1 a 4 segundos.

 

Também um tipo de reverb muito utilizado. Como o nome sugere o HALL reverb simula grandes saguões ou salas de apresentações.

Hall reverbs são uma boa escolha para adicionar um ambiente tridimensional em sua mix, estes costumam ficar mais no background, adicionando profundidade sem atrapalhar o primeiro plano.

 

Costuma-se usar em sons atmosféricos, pads ou sons que irão ficar mais atrás na mix

 

 Plugin Waves IR1

 

 

PLATE

 

Caracterizado por um tempo em média de 1 a 4 segundos.

 

Imagine uma placa de metal que vibra quando a onda sonora atinge a superfície. É essa simulação que faz o PLATE reverb. Resultado de um reverb metálico. Têm caráter semelhante aos HALL reverbs, exceto que o som geralmente é mais denso e mais bidimensional.

 

Como a velocidade do som é muito mais rápida em metal do que o ar, as placas têm uma densidade de "eco" maior. Estes dois fatores são o que dão aos plates sua característica metálica. 

 

Plate reverb é muito bom para adicionar comprimento e tamanho para o som sem fazer ele distante ou pequeno, eles geralmente são o "tempero especial" que faz um vocal ou uma snare soar incrível, pois eles não adicionam profundidade ou distancia como um HALL reverb.

 

 Plugin Waves Abbey Road Plates

 

 

SPRING

 

Caracterizado por um tempo em média de 1 a 2 segundos.

 

Simulam o método de gerar reverb que é criado em amplificadores de guitarra, direcionando o som em molas metálicas e deixando-as reverberar. Com isso geram um som único parecido com tremolo ou pan, onde voce escuta uma vibração no reverb.

São tipicamente usados em canais individuais e não em tracks inteiras, além dos clássicos instrumentos como guitarras, pianos você pode ir além para experimentar em vocais ou baterias para criar um efeito psicodélico !

 

 Plugin Waves Rverb

 

 

E Agora que você ja conhece mais sobre cada tipo de reverb vou falar um pouco sobre alguns dos parâmetros principais que rodeiam esses plugins, assim você vai poder configurar seus reverbs com mais clareza.

 

 

Plugin Reverb Nativo do Ableton


 

Room Size: Diretamente relacionado ao tamanho do ambiente em que será reproduzido, valores maiores normalmente se correlacionam com tempos de reverberação mais longos e, possivelmente, com uma imagem estéreo mais ampla. Altere este parâmetro em conjunto com o decay time para uma reprodução mais coesa do ambiente.

 

Decay Time: Este é o tempo em que o reverb vai se dissipar após o sinal original tocar, muito importante para configurar a cauda do reverb, e também vai dizer o tamanho do ambiente em que está sendo reproduzido, valores menores = salas menores / valores maiores = salas maiores

 

Early Reflections: Este parâmetro define o nível do primeiro grupo de ecos que ocorre quando as ondas sonoras atingem paredes, tetos, etc. Essas reflexões tendem a ser mais definidas e soam mais como "eco" do que "reverb". Reflexões iniciais tendem a funcionar melhor com sons mais longos, como vocais e pads, do que com sons percussivos. Balance as reflexões iniciais para que eles não soem como ecos óbvios, nem sejam mascarados pelo decay time. Reduzir o nível de reflexão inicial também coloca o ouvinte mais trás na sala e mais centralizado.

 

Pre-delay: Tempo de atraso em que o reverb vai começar a atuar, importante configurar principalmente em vocais para não embolar, mas também é usado para reproduzir ambientes maiores que nesses geralmente são acompanhados de um tempo até começar a reverberação. Recomenda-se usar tempos de acordo com o BPM do projeto, você pode calcular no site: http://nickfever.com/music/delay-calculator

 

Damping: Em um um salão cheio de pessoas as reflexões tendem a perder frequências altas, dando assim mais "calor"para o reverb. se o seu reverb tem uma sonoridade mais aguda, adicione damping para criar um som mais quente, o damping reflete totalmente no tom geral do reverb, então usa-lo de forma oposta geralmente cai muito bem (valores altos se o áudio já tem muito brilho, valores baixos se a musica necessita de mais "ar")

 

Width: Usado para configurar o tamanho da imagem estéreo do reverb.

 

Dry/Wet (Mix): Comum não somente em reverb mas em muitos outros efeitos este é a relação entre o sinal original e o efeito em si, se estiver usando o reverb em um canal separado, recomendo balancear os sinais, mas se estiver usando em um canal bus ou de retorno eu necessário configurar apenas o efeito paras esses canais (totalmente wet).

 

 

 

 

Agora que você ja sabe o básico sobre os reverbs,  então vem a prática, atente a todos os detalhes enquanto vai mixar com reverb, cuidado para não perder os brilho dos elementos, use sempre de forma sutil, que não fique tão "na cara" que está sendo usado, ative e desative varias vezes para ter certeza que está na proporção certa !